João Barreta

João Barreta, 51 anos, licenciado em Organização e Gestão de Empresas e mestre em Gestão do Território, iniciou o seu percurso profissional, em 1995, no Gabinete da Intervenção Operacional Comércio e Serviços, passando a integrar, posteriormente, os quadros do Ministério da Economia/Direção-Geral do Comércio e da Concorrência. 

Entre 2001/2008 exerceu vários cargos dirigentes na administração local (autarquias do Montijo, Setúbal e Lisboa), destacando-se o exercício do cargo de Diretor Municipal das Atividades Económicas/Câmara Municipal de Lisboa, período em que desempenhou, também, os cargos de Presidente da Direção da Agência para a promoção da Baixa-Chiado e da  Assembleia-Geral do Centro de Arbitragem e Conflitos de Consumo de Lisboa.

Entre 2009/2012, já na administração central, assumiu o cargo de Diretor de Serviços de Planeamento e Gestão Estratégica, no Departamento de Prospetiva e Planeamento e Relações Internacionais/Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território. De abril de 2012 a maio de 2016, desempenhou funções como técnico superior (Direção de Serviços de Auditoria e Controlo Interno/Secretaria Geral do Ministério da Economia).

Desde 16 de maio de 2016, exerce o cargo de Diretor de Serviços de Planeamento, Informação e Recursos Humanos, na Direção Geral das Artes/Ministério da Cultura. Conta com inúmeros trabalhos publicados, dos quais se destacam o livro “Comércio(s)! A que propósito? Conversas (im)prováveis com Fernando Pessoa”, o conto “Do poder de poder surpreender ao poder de poder ser surpreendido” (no livro “O Retângulo” - publicação de conto(s) vencedor(es) de concurso literário da Editora Alfarroba) e o artigo “Fazer Acontecer a Regeneração Urbana com os Mercados Municipais” (vencedor do prémio Consumus Dixit/Fórum do Consumo, na categoria de melhor trabalho jornalístico).