“Cidade, livro em branco”, pela Associação Há Baixa, 20 maio > 4 junho, Coimbra

Cruzamentos disciplinares
“Cidade, livro em branco”, pela Associação Há Baixa, 20 maio > 4 junho, Coimbra

“Partimos da necessidade humana em marcar paredes, desde as pinturas rupestres, e percorremos a história do graffiti até aos dias de hoje. Atualmente, paredes, muros, fachadas das cidades são ocupadas por graffiti de todos os tipos. Arte urbana ou vandalismo? Neste ciclo, integrado no projecto do colectivo Há Baixa ‘Cidade, Livro em branco’, vamos pensar sobre as relações entre arte e poder e o lugar da desobediência civil na expressão artística”. (Associação Há Baixa)


ESPECTÁCULO: VÁLVULA

Nesta performance inclassificável – meio palestra, meio concerto de hip hop - o desenhador António Jorge Gonçalves guia-nos com palavras e desenhos pelos riscos que caçadores-recoletores fizeram nas rochas há 30.000 anos, pelas anotações desenhadas dos romanos nas paredes das casas em Pompéia, e pelos murais mexicanos de há 100 anos atrás, enquanto o MC e activista Flávio Almada aka LBC Soldjah nos leva com palavras e música até às contradições sociais das nossas cidades. Tudo para podermos compreender as pinturas a lata de spray que enchem em sobressalto os nossos muros. Sem condescendência, o espectáculo atravessa vários temas numa perspectiva que está para lá do julgamento.  

EXPOSIÇÃO: EU ESTIVE AQUI [HISTÓRIA DO GRAFITTI DE A A Z]

O ato de riscar informalmente nas paredes sempre acompanhou a humanidade. Organizada como um glossário das palavras relacionadas com este universo, expõem-se as relações entre o graffiti contemporâneo e aquilo que os humanos foram riscando em diferentes épocas e geografias. Das gravuras pré-históricas às assinaturas dos graffiters, dos escritos de casa de banho aos murais revolucionários, das runas viking nas catedrais medievais aos alfabetos indecifráveis nas paredes das nossas cidades, do hip-hop aos comentários nas paredes das casas romanas, descobrimos um mundo ritual de comunicação, rebeldia e beleza. 

CONVERSA: PORQUE DESENHAMOS NAS PAREDES


LOCAIS, DATAS E HORÁRIOS

ESPECTÁCULO + CONVERSA

Teatro Académico de Gil Vicente, Coimbra,
25 de Maio, 19h
26 de Maio, 11h (escolas)

EXPOSIÇÃO

Foyer do Teatro Académico de Gil Vicente
20 de Maio a 4 de Junho, 14h-22h30


FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Criação António Jorge Gonçalves, Flávio Almada
Interpretação António Jorge Gonçalves (palavras e desenho digital), LBC Soldjah (palavras e música)
Direção e produção musical RAS M Dj ERRY G
Produção Culturproject
Uma encomenda LU.CA – Teatro Luís de Camões
Apoio República Portuguesa – Cultura I DGArtes – Direção-Geral das Artes, Ciclo de Teatro e Artes Performativas – Mimesis UC, Teatro Académico de Gil Vicente


BILHETEIRA

PREÇO

25 maio 19h00

€7
€5  < 25, estudante, > 65, comunidade UC, rede alumni UC, grupo ≥ 10, desempregado, profissional do espetáculo, parcerias

26 maio 11h00 (escolas)
Informações e reservas habaixacomunicacao@gmail.com

26 maio 11h00 (público em geral)
€7
€5  < 25, estudante, > 65, comunidade UC, rede alumni UC, grupo ≥ 10, desempregado, profissional do espetáculo, parcerias

Bilheteira TAGV 1 hora antes dos espetáculos e 30 minutos antes das sessões de cinema. Encerra 30 minutos após o seu início