Organização

LEI ORGÂNICA

No contexto do Plano de Redução e Melhoria da Administração Central (PREMAC), o Decreto Regulamentar n.o 35/2012 de 27 de março aprova a orgânica da DGARTES, em consonância com o disposto na orgânica da Presidência do Conselho de Ministros, no que respeita aos serviços e organismos da área da cultura, mantendo no seu âmbito de atuação a responsabilidade pelo apoio às artes, quer na vertente da produção de informação relevante para o setor, quer na gestão dos apoios cuja concessão lhe está legalmente atribuída. A DGARTES sucede, ainda, nas atribuições da Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, no domínio dos apoios às artes. 

Lei Orgânica da DGARTES 
 


ORGÂNICA INTERNA

A organização interna da DGARTES - estabelecida pela Portaria n.º 188/2012 de 15 de junho - obedece ao modelo de estrutura hierarquizada, sendo dirigida por um diretor-geral, coadjuvado por uma subdiretora-geral, cargos de direção superior de 1.o e 2.o graus, respetivamente. A DGARTES estrutura-se nas seguintes unidades orgânicas nucleares: Direção de Serviços de Planeamento, Informação e Recursos Humanos; Direção de Serviços de Apoio às Artes; Direção de Serviços de Gestão Financeira e Patrimonial. Estas unidades orgânicas são dirigidas por diretores de serviço, cargos de direção intermédia de 1.º grau. 
 


CARGOS DE DIREÇÃO

Américo Rodrigues
Diretor da DGARTES desde fevereiro de 2019. 
Licenciado em Língua e Cultura Portuguesas pela Universidade da Beira Interior e Mestre em Ciências da Fala pela Universidade de Aveiro com uma tese sobre "As emoções na fala".
Exerceu funções de animador e programador cultural na Casa de Cultura da Juventude da Guarda/FAOJ (1979-1989) e na Câmara Municipal da Guarda (1989-2005), tendo sido Diretor do Teatro Municipal da Guarda (2005-2013) e Coordenador da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (2015-2018).
Foi um dos fundadores do coletivo Aquilo Teatro, da Associação Luzlinar e do Calafrio, Associação Cultural / Teatro do CalaFrio.
Coordenou os cadernos de poesia Aquilo (1982-1997) e foi co-director da revista Boca de Incêndio (2004-2006), entre outras publicações.
Em 2011 recebeu a medalha de mérito cultural atribuída pelo Ministério da Cultura de Portugal.
É poeta, ator, encenador, performer (na área da poesia sonora) e programador cultural.

Ana Senha
Subdiretora da DGARTES desde 1 de junho de 2016.
Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (1998), frequentou os cursos de pós-graduação em Direito Público, pela Universidade Católica, e de Direito dos Contratos Públicos, pela Universidade de Lisboa. Iniciou atividade profissional em 2001 como jurista-advogada no ICEP Portugal e entre 2003 e 2016 exerceu funções de assessoria jurídica e de coordenação do Gabinete Jurídico na EGEAC, E.M.

Nuno Moura 
Diretor de Serviços de Apoio à Artes desde 2015.
Técnico Superior na área da Cultura desde 2001. Licenciatura em Gestão (ISEG/UTL) e Mestrado em Estudos de Teatro (FL/UL). Gestor de projeto do curso internacional de formação avançada École des Maitres/Projet Thierry Salmon de 2001 a 2011 e, atualmente, da Pegada Cultural - Artes e Educação, programa financiado pelos EEA Grants.

Mónica Antunes
Diretora de Serviços de Gestão Financeira e Patrimonial desde 2012.
Licenciada em Economia (Universidade Católica Portuguesa). Técnica Superior do mapa de pessoal da Direção –Geral do Orçamento integrada na carreira de técnico superior especialista em orçamento e finanças públicas do Ministério das Finanças.

Sandra Pereira
Diretora de Serviços de Planeamento, Informação e Recursos Humanos desde julho de 2019.
Licenciatura em Sociologia (ISCTE) e Mestrado em Sociologia do Trabalho, das Organizações e do Emprego (ISCTE). Pós-graduada em Análise de dados em Ciências Sociais (ISCTE-IUL) e em Avaliação e Desenvolvimento Organizacional na Administração Pública pelo Instituto para as Políticas Públicas e Sociais/ISCTE-IUL.
Integra o mapa de pessoal do Instituto de Gestão Financeira da Educação, I.P.
Exerceu, entre janeiro de 2014 e fevereiro de 2019, o cargo de Vogal do Conselho Diretivo do Instituto de Avaliação Educativa , I.P. e, entre 2008 e 2013, o cargo de diretora-adjunta do Gabinete de Avaliação Educacional.
Na área da Ciência e Tecnologia, foi técnica superior do Observatório das Ciências e das Tecnologias (1996-2000), tendo coordenado a equipa de projeto para o estudo prospetivo dos recursos humanos em ciência e tecnologia em Portugal (2001) e exercido o cargo de chefe de divisão do Apoio à Preparação do Orçamento de Ciência e Tecnologia.
 


ORGANOGRAMA
organograma2019.png