16 obras da Coleção da Fundação Bienal de Arte de Cerveira vão ser apresentadas na Sardenha, Itália

artes visuais
16 obras da Coleção da Fundação Bienal de Arte de Cerveira vão ser apresentadas na Sardenha, Itália
Internacional | Itália

Partindo da temática da migração, a exposição "Territórios Imaginados" leva ao Museo del Crudo (Sardenha, Itália), de 4 de maio a 30 de junho, 16 obras da Coleção da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, com o apoio da Direção-Geral das Artes. Os artistas representados são Ana Maria, Ana Pimentel, António Barros, Bartolomeu Cid dos Santos, Carlos Casteleira, Francisco Tropa, Hélia Aluai, Henrique Neves & Michael Langan, Isaque Pinheiro, Inês Norton, Lauren Maganete, Mário Ambrózio, Martinho Costa, Os Espacialistas e Samuel Rama.

Esta iniciativa integra a candidatura "Fundação Bienal de Arte de Cerveira: the Collection on the road" e apresenta um conjunto de atividades multidisciplinares que têm como mote dar a conhecer a arte contemporânea e a cultura portuguesas. O projeto apresenta um programa cultural concertado em parceria com a Associação Noarte Paese Museo e o Município de San Sperate (Sardenha, Itália). 

Segundo a curadora da exposição, Elisa Noronha, será proposto ao público "um olhar sobre a migração contemporânea através da perceção do território, olhar esse que se constrói a partir de obras de 16 artistas de distintas gerações – mas com um território em comum, Portugal – numa narrativa exploratória de possíveis imaginários". 

Em comum também se apresenta a revolução cultural que as duas vilas abraçaram nos anos 60 e 70 do século XX, respetivamente. "Os cerca de 1.500 km que separam os dois territórios diluem-se quando nos reportamos à forte dinâmica cultural. San Sperate e Vila Nova de Cerveira são, há 50 e 40 anos respetivamente, laboratórios de experimentação artística e espaço de encontro, interação e divulgação de ideias para artistas de todo o mundo", conclui o presidente da FBAC.

O programa contempla ainda, entre outras atividades, uma conferência sobre arte contemporânea portuguesa que será realizada pela curadora e investigadora CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» Elisa Noronha e a pintura de um mural na vila sarda, realizado pelos artistas portugueses Acácio de Carvalho, Cabral Pinto e Fernanda Araújo.

O projeto "Fundação Bienal de Arte de Cerveira: the Collection on the road" conta com o apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes.

/
Sobre a Paese Museu (Vila Museu) de San Sperate (Sardenha)
Até aos anos 60 San Sperate era uma vila agrícola como muitas outras: as ruas eram feitas de terra, as paredes das casas eram de terra e a economia baseava-se no trabalho das terras. Em 1968, o artista Pinuccio Sciola (1942-2016) é responsável por uma revolução cultural que envolveu toda a comunidade e que transformou a vila num laboratório artístico permanente e participativo, assim como num lugar aberto à discussão e ao diálogo multicultural. Esta dinâmica mantém-se até aos dias de hoje, sendo agora a Associação Noarte Paese Museo que leva avante este projeto ambicioso que conta 50 anos de história e planos para o futuro.

/
Mais informações:
http://bienaldecerveira.org